logo

9/1/2019 08:45

Justiça convoca Flávio Bolsonaro para depor sobre caso Queiroz

0 0 0 0

Da Rede Brasil Atual - Ainda não foi desta vez que o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) conseguiu ouvir familiares de Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), sobre movimentação de dinheiro considerada suspeita. Mas, em nota, o MP informa que recebeu informações que permitem a sequência das investigações e, inclusive, quebra de sigilos bancário e fiscal.



Segundo a nota, os depoimentos das filhas (Nathália e Evelyn) e da mulher (Márcia) de Queiroz, previstos para esta terça-feira (8), não ocorreu. De acordo com o que a defesa informou aos procuradores, "todas mudaram-se para a cidade de São Paulo, onde devem permanecer por tempo indeterminado e até o final do tratamento médico e quimioterápico necessários, uma vez que, como é cediço, seu estado de saúde demandará total apoio familiar".



Ainda segundo a defesa, Queiroz teve alta às 12h20 hoje do Hospital Albert Eistein, em São Paulo, depois de cirurgia de um tumor maligno no intestino. O hospital informou que ele entrou em 30 de dezembro.

Em relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), o nome do assessor é citado por movimentar R$ 1,2 milhão em uma conta bancária, durante um ano, recebendo salário de R$ 23 mil. As transações foram consideradas atípicas. Ele já chamado duas vezes ao MP para prestar esclarecimentos, mas não compareceu. Dessa conta saíram também R$ 24 mil em depósito para a primeira-dama, Michelle Bolsonaro.

Segundo a investigação, Nathalia, Evelyn e Márcia já foram lotadas em gabinete de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio. Nathalia também trabalhou no gabinete de Bolsonaro pai na Câmara dos Deputados.

O filho do presidente foi convidado a prestar depoimento na próxima quinta-feira (10). O Ministério Público lembra que, "por força de prerrogativa parlamentar, (Flávio Bolsonaro) pode indicar nova data para seu depoimento". Em redes sociais, o parlamentar, que é deputado estadual, tem repetido que quem deve responder pelo caso é seu ex-motorista e assessor.

"O MPRJ esclarece que a oitiva dos investigados representa uma oportunidade para que possam apresentar suas versões dos fatos e que o não comparecimento voluntário e deliberado reflete, neste momento, uma opção dos envolvidos, sendo certo que o direito constitucional à ampla defesa também poderá ser exercido em juízo, caso necessário", diz o Ministério Público, que "seguirá apurando os fatos de forma reservada e sigilosa, manifestando-se apenas por meio de notas oficiais".

A Procuradoria termina informado que "a prova documental" encaminhada pelo Coaf "tem informações que permitem o prosseguimento das investigações, com a realização de outras diligências de natureza sigilosa, inclusive a quebra dos sigilos bancário e fiscal".

Clique aqui para entrar no grupo de WhatsApp e receber imagens, vídeos e notícias contra Bolsonaro e o fascismo.

Clique aqui para entrar em nosso grupo de Telegram

VÍDEO: Sem apoio do mercado financeiro, congresso e nem dos militares, queda de Bolsonaro está próxima. Assista e compartilhe!



Se você quer ajudar na luta contra Bolsonaro e a direita fascista, inscreva-se no canal do Plantão Brasil no YouTube.



O Plantão Brasil é um site independente. Se você quer ajudar na luta contra o golpismo e por um Brasil melhor, compartilhe com seus amigos e em grupos de Facebook e WhatsApp. Quanto mais gente tiver acesso às informações, menos poder terá a manipulação da mídia golpista.


2589 visitas - Fonte: Brasil247

Notícias do Flamengo Notícias do Corinthians