logo

18/2/2019 19:52

Queda de Ministro de Bolsonaro por CORRUPÇÃO entra para história: ministro demitido em menos tempo

0 0 0 0

A exoneração de Gustavo Bebianno (PSL) da Secretaria-Geral da Presidência da República é a mais rápida demissão de ministro desde a redemocratização no país, em 1989.



Pivô do escândalo de candidaturas laranjas de mulheres revelado em reportagem da Folha de S.Paulo, o agora ex-chefe da pasta foi exonerado hoje 48 dias depois de tomar posse do cargo. À frente dele no quesito menor duração no cargo estão Romero Jucá e Joaquim Roriz, este último morto em setembro do ano passado, mas ambos se demitiram, não foram demitidos.



Romero Jucá (MDB): Pediu demissão após 12 dias pelo ex-presidente Michel Temer (MDB), em 2016 e assumiu como senador.

Joaquim Roriz: Pediu demissão após 14 dias para concorrer ao governo do estado do Distrito Federal, em 1990. Era ministro da Agricultura e da Reforma Agrária do hoje senador Fernando Collor (Pros-AL).

Gustavo Bebianno (PSL): DEMITIDO POR CORRUPÇÃO após 48 dias pelo atual presidente, Jair Bolsonaro (PSL).

Gustavo Krause: ex-chefe da Fazenda no governo de Itamar Franco (1992-1994), Krause esteve no cargo por 75 dias, entre 2 de outubro de 16 de dezembro de 1992. Foi a quarta demissão mais rápida.

Clique aqui para entrar no grupo de WhatsApp e receber imagens, vídeos e notícias contra Bolsonaro e o fascismo.

Clique aqui para entrar em nosso grupo de Facebook

Clique aqui para entrar em nosso grupo de Telegram

VÍDEO: O fracasso das manifestações pró-Bolsonaro em todo o país:



Se você quer ajudar na luta contra Bolsonaro e a direita fascista, inscreva-se no canal do Plantão Brasil no YouTube.



O Plantão Brasil é um site independente. Se você quer ajudar na luta contra o golpismo e por um Brasil melhor, compartilhe com seus amigos e em grupos de Facebook e WhatsApp. Quanto mais gente tiver acesso às informações, menos poder terá a manipulação da mídia golpista.


7563 visitas - Fonte: Uol

Notícias do Flamengo Notícias do Corinthians