Paulo Pimenta salienta a autonomia da PF, não mais aparelhada a projetos políticos

Portal Plantão Brasil
22/3/2023 18:57

Paulo Pimenta salienta a autonomia da PF, não mais aparelhada a projetos políticos

0 0 0 0

449 visitas - Fonte: Metrópoles

O ministro-chefe da Secretaria de Comunicação da Presidência da República, Paulo Pimenta (foto em destaque), elogiou, nesta quarta-feira (22/3), a operação da Polícia Federal (PF) que investiga integrantes de uma facção criminosa por planejar matar e sequestrar autoridades. Segundo Pimenta, a corporação não é mais “aparelhada a serviço de um projeto político”.

“Essa é uma investigação que não aconteceu agora e que foi executada com sucesso, impedindo a possibilidade da consumação de um crime contra várias autoridades. A ação da Polícia Federal demonstra a importância de que nós possamos despolitizar essas instituições de Estado”, afirmou o ministro.

De acordo com senador e ex-ministro Sergio Moro (União-PR), ele era um dos alvos da facção. Até o momento, nove pessoas acabaram presas por envolvimento no plano.

Questionado sobre a fala do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) acerca de uma vingança contra Moro à época em que o petista ficou preso em razão da Operação Lava Jato, em Curitiba, Pimenta disse que os fatos não têm “vínculo” e estão “foram de propósito”.

“Não há qualquer nexo ou possibilidade de vínculo entre a manifestação do presidente Lula e a operação que foi realizada. Ele relatou um sentimento de justiça e de indignação, absolutamente natural e compreensível de alguém que ficou 580 dias detido numa solitária”, disse Paulo Pimenta.

“A manifestação do presidente Lula tem de ser compreendida dentro do contexto, no qual ele relata um momento que estava vivendo”, acrescentou.

Entenda a operação da PF

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quarta-feira, a Operação Sequaz, com o objetivo de desarticular o plano feito pelo Primeiro Comando da Capital (PCC) de sequestrar e matar servidores públicos e autoridades, incluindo Sergio Moro e o promotor de Justiça Lincoln Gakiya, que integra o Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado de São Paulo (Gaeco).

Os mandados de prisão e busca e apreensão foram cumpridos no Distrito Federal e em quatro estados: Rondônia, Paraná, Mato Grosso do Sul e São Paulo. Segundo as investigações da PF, os ataques poderiam ocorrer de forma simultânea, e os principais investigados estão nos estados de São Paulo e Paraná.

O PCC é uma facção comandanda por Marcos Willians Herbas Camacho, conhecido como Marcola. Em 2018, o promotor Lincoln Gakiya pediu a transferência de Marcola de São Paulo para um presídio federal. No início do ano seguinte, o chefe do PCC foi trazido para a Penitenciária Federal de Brasília.

Plantão Brasil foi criado e idealizado por THIAGO DOS REIS. Apoie-nos (e contacte-nos) via PIX: apoie@plantaobrasil.net



APOIE O PLANTÃO BRASIL - Clique aqui!

Se você quer ajudar na luta contra Bolsonaro e a direita fascista, inscreva-se no canal do Plantão Brasil no YouTube.



O Plantão Brasil é um site independente. Se você quer ajudar na luta contra o golpismo e por um Brasil melhor, compartilhe com seus amigos e em grupos de Facebook e WhatsApp. Quanto mais gente tiver acesso às informações, menos poder terá a manipulação da mídia golpista.


Últimas notícias

Notícias do Flamengo Notícias do Corinthians