logo

7/12/2022 19:54

Universidade federal em Minas Gerais fica com R$ 71 na conta, após bloqueios de Bolsonaro

0 0 0 0

2766 visitas - Fonte: UOL

A UFU (Universidade Federal de Uberlândia) ficou com R$ 71 na conta após o governo do presidente Jair Bolsonaro (PL) bloquear R$ 2,7 milhões do orçamento da instituição no final de novembro.

Nesta semana, a universidade comunicou que um novo bloqueio zerou completamente os recursos para o mês de dezembro, e que não tem mais como pagar auxílio estudantil e os contratos de alimentação, segurança, limpeza e transporte.

"É uma situação de extrema gravidade", disse o reitor, Valder Steffen Junior. "Não há experiência anterior como essa para enfrentarmos com base em alguma referência do passado. A nossa esperança é que autoridades em Brasília revejam essa situação e devolvam nosso orçamento".

A situação é a mesma da UnB (Universidade de Brasília), que informou nesta semana que não tem recursos para os pagamentos de dezembro. Em nota, a reitoria explicou que o novo bloqueio do governo federal retirou mais de R$ 17 milhões da instituição, deixando "insustentável" o que já era considerada uma "situação dramática".

No último dia 1º de dezembro, em menos de 6 horas, o governo de Jair Bolsonaro (PL) desbloqueou e voltou a bloquear os recursos das universidades e institutos federais. O bloqueio inicial dos valores havia sido feito na segunda-feira (28), travando cerca de R$ 1,4 bilhão na área da Educação, sendo R$ 344 milhões de universidades.

Depois, o MEC (Ministério da Educação) chegou a liberar parte dos recursos. Mas, antes mesmo que a verba pudesse ser usada para qualquer pagamento, o Ministério da Economia fez novo bloqueio.

O UOL tenta contato com o MEC desde segunda-feira (5) para entender a situação. Caso haja resposta, o texto será atualizado.

MEC não tem como pagar milhares de residentes e bolsistas. O governo de transição para o próximo mandato do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), afirmou que o MEC não tem como pagar em dezembro os 14 mil médicos residentes de hospitais federais e outros cerca de 100 mil bolsistas da Capes após o congelamento de verbas.

Em entrevista coletiva, o ex-ministro Aloizio Mercadante, que lidera o grupo temático da Educação no governo de transição, acusou o atual governo de desperdiçar os recursos da Educação na tentativa de comprar votos para a eleição deste ano.

"É muito difícil o governo de transição resolver o problema de quem está governando. Eles é que têm que resolver. Não fomos procurados. E, se tem alguém que não deve pagar por brigas políticas, esse alguém são as crianças", declarou.

Além dos cortes nas universidades, a educação básica também pode ser afetada. A equipe de transição alertou que, com os cortes, milhões de alunos podem ficar sem livros didáticos no início do ano que vem.

"O limite orçamentário pode gerar uma situação, no caso do livro didático, onde não teremos empenho nem a contratação dos livros didáticos, o que pode implicar um atraso na entrega dos livros nas escolas de ensino básico no Brasil", afirmou o ex-ministro da Educação José Henrique Paim.

Plantão Brasil foi criado e idealizado por THIAGO DOS REIS. Apoie-nos (e contacte-nos) via PIX: apoie@plantaobrasil.net

Clique aqui para entrar no grupo de WhatsApp e receber imagens, vídeos e notícias contra Bolsonaro e o fascismo.



APOIE O PLANTÃO BRASIL - Clique aqui!

VÍDEO: CPI DO CAPITÓLIO NOS EUA!! EDUARDO B0LSONARO NA MIRA:



Se você quer ajudar na luta contra Bolsonaro e a direita fascista, inscreva-se no canal do Plantão Brasil no YouTube.



O Plantão Brasil é um site independente. Se você quer ajudar na luta contra o golpismo e por um Brasil melhor, compartilhe com seus amigos e em grupos de Facebook e WhatsApp. Quanto mais gente tiver acesso às informações, menos poder terá a manipulação da mídia golpista.


Notícias do Flamengo Notícias do Corinthians